Na infância que se inicia a formação dos hábitos alimentares que permanecerão ao longo da vida!


Aleitamento materno até os 6 meses!

29/06/2018, por Priscilla Bogaert

Aleitamento materno até
os 6 meses!



Amamentar é muito mais que nutrir a criança. É um processo que envolve
uma interação profunda entre mãe e filho, com consequências no estado
nutricional da criança, na habilidade de defesa de infecções, no
desenvolvimento cognitivo e emocional, além de ter implicações na saúde física
e psíquica da mãe. Há inúmeras evidências científicas que provam a superioridade
da amamentação sobre outras formas de alimentar a criança pequena. Entretanto,
as taxas de aleitamento materno no Brasil, em especial as de amamentação
exclusiva, estão menores do que o recomendado.



O leite materno é completo! Isso significa que até os seis meses o bebê
não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). Depois
desta idade, a amamentação deverá ser complementada com outros alimentos. A
Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam
aleitamento materno exclusivo por seis meses de idade e complementado até os
dois anos ou mais.



O bebê deve
começar a mamar logo após o nascimento, ainda na sala de parto, desde que a mãe
esteja em boas condições e o recém-nascido com manifestação ativa de sucção e
choro. O contato precoce, da criança com a mãe, e a estimulação sensorial da
mama, ajudam a consolidar o refl exo da sucção, com a abreviação do tempo da
descida do leite e o fortalecimento do vínculo mãe filho.



Para que o
bebê sugue o peito eficientemente, é necessário estar em posição que lhe permita
abocanhar, adequadamente, o mamilo e a aréola. A mãe pode estar sentada, recostada
ou deitada e apoiar a mama com a mão, colocando o polegar logo acima da aréola
e os outros dedos e toda a palma da mão debaixo da mama; o polegar e o
indicador devem formar a letra C, de modo que o lactente possa abocanhar o
mamilo e boa parte da aréola (os depósitos de leite estão sob a aréola).



O bebê deve
mamar em livre demanda, ou seja, todas as vezes que quiser, sem horários fixos
ou determinados. Depois de ele esvaziar o primeiro peito, a mãe deve oferecer-lhe
o segundo; o completo esvaziamento da mama assegura a manutenção do estímulo de
produção do leite. O tempo de esvaziamento da mama é variável para cada
criança; algumas conseguem fazê-lo em poucos minutos e outras em até 30 minutos.
Para retirar o bebê do peito, recomenda-se introduzir gentilmente o dedo mínimo
no canto da sua boca; ele largará o peito sem tracionar o mamilo. Após a mamada,
colocá-lo para arrotar.

FONTE: SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA, 2012.

Deixe seu comentário